top of page

Folclore de Chuteiras


A equipe da Rede Azul começa transmissão... O Maracanã está lotado e é grande a expectativa, um jogo amistoso, mas com cara de decisão, não é pra menos, pois no gramado já estão perfilados, a Seleção Brasileira de Monstros apresentando destaques como Negrinho do Pastoreio, Cabra-Cabriola... e até o Lobisomem, que se naturalizou brasileiro para defender o escrete canarinho. Do outro lado, um combinado de seres fantásticos do Resto do Mundo, trazendo nomes da envergadura de Frankenstein, Abominável Homem das Neves, entre outros craques.


"Os caras devem vir com tudo. O time deles é forte fisicamente... vamos ter que trabalhar muito nossa habilidade tupiniquim para cansar o adversário." - prevê o comentarista Manteiga Brasil. Para arbitrar o prélio, o ET de Varginha , sem dúvida, uma escolha acertada, pois não gosta de aparecer e com isso não fica truncando o jogo, o que favorece o bom futebol dos craques, como por exemplo, o Boitatá, arrancando elogios do narrador Carlão: "Esse Boitatá é mesmo uma cobra no meio de campo."


"A regra é clara: os craques sobrenaturais podem usar suas habilidades especiais à vontade que o juiz não dá nada." Tanto isso é verdade, que com alguns minutos de jogo, o Saci abre o placar para o escrete brasileiro, carregando a bola como um redemoinho até as redes do adversário. Quase ao final do primeiro tempo, o Vampiro empata para o combinado estrangeiro, voando por cima do goleiro.


O jogo foi mesmo eletrizante, os leitores-torcedores se deliciaram com a sucessão de jogadas e chistes do clássico, como quando o Lobisomem para no gramado pra uivar para a lua, ou ainda com as pérolas do comentarista Manteiga Brasil: "Já faz algum tempo que o futebol do Curupira só anda para trás", ou "O Ciclope está sem visão de jogo."

O resultado?! Não digo, mas deixo uma pista na resposta do treinador brasileiro, José Lobato, quando entrevistado ao final do jogo: "Nossas criaturas fantásticas dão um show de bola... Temos que dar mais valor a essa turma."


FOLCLORE DE CHUTEIRAS

Alexandre de Castro Gomes (texto) e Visca (ilustrações)

Editora Peirópolis

72 páginas

Comments


bottom of page